leituranarede.com

Resenhas

RESENHA: ESTRANHA CONFISSÃO: UM DRAMA NA CAÇA, DE ANTON TCHEKHOV

resenha_estranha confissao_leitura na rede_im dest

Estranha confissão: um drama na caça, do escritor russo Anton Tchekhov, foi o primeiro livro que li da minha lista de 12 leituras da meta literária de 2016. E fiquei muito feliz por ter escolhido este livro!

A novela precursora do romance policial com fundo psicológico foi publicada pela primeira vez em folhetins entre 1884 e 1885. A história narra as memórias do juiz de instrução Sérgio Petrovich Zinoviev. Contada em 1ª pessoa, a narrativa descreve o momento de vida do juiz quando o conde Alexey Karnieiev regressa ao distrito após uma longa viagem. Muitas pessoas da cidade não enxergam o conde com bons olhos, pois ele leva uma vida desregrada, com muitas festas, bebidas e mulheres dos bordéis próximos à sua linda residência. Sempre que Sérgio vai visitá-lo, acaba se empolgando e passa dias passeando pelos jardins e terras do conde e noites bebendo em sua companhia. Numa dessas festas, num dia de caça, acontece um assassinato, e o juiz de instrução terá que interrogar os próprios colegas de bebedeira, mesmo tendo seus próprios interesses em conflito com o rumo da investigação.

Estranha confissão: um drama na caça é uma obra repleta de descrições dos costumes da sociedade da época, e da inquietação de sentimentos dos personagens, mostrando suas fraquezas e paixões. Apesar de o autor nos fornecer as pistas que nos levarão à conclusão e descoberta do assassino antes do final do livro, isso não diminui a importância da obra. Aliás, acredito ter sido essa a intenção do escritor. E devemos lembrar também que Tchekhov foi o escritor que criou, através dessa novela, as complicações para o gênero policial e que depois foram utilizadas por Agatha Christie, Graham Greene, entre outros.

Não existe nenhuma novela em que a porteira do jardim não desempenhe um papel importante. Se vocês ainda não perceberam isso, perguntem a Policarpo, que em sua vida já devorou tantas novelas, de terror ou não, e ele seguramente lhes confirmará essa característica.

Minha novela também não dispensa uma porteira. Mas esta se diferenciará das outras no sentido de que minha pena, ao contrário do que ocorre em outras novelas, deverá fazer passar por ela muita desgraça e pouca alegria. E o pior é que eu não a descreverei como um novelista, mas sim como um juiz de instrução. Essa porteira será atravessada mais por criminosos do que por apaixonados. (p. 34)

Recomendo a leitura de Estranha confissão: um drama na caça a todos que gostam de um bom romance policial. É um imenso aprendizado e prazer ver e sentir a partir de qual momento a literatura policial passou por essa transformação.

  • Título original: Extraña Confesión – un drama en la cacería (em espanhol) – A edição que li foi baseada na obra organizada por Jorge Luis Borges e Adolfo Bioy Casares para a coleção El séptimo círculo publicada pela editora Emecé na Argentina em 1945.
  • Editora: Planeta
  • Número de páginas: 246
  • Ano: 2005
  • Gênero: Romance policial
  • Rating: 4 estrelas

RESENHA: A IRMANDADE DAS CALÇAS VIAJANTES, DE ANN BRASHARES

Resenha_a irmandade das calcas viajantes_leitura na rede_im dest

Eu queria há tanto tempo este livro pessoal! Desde que era adolescente e fã incondicional (ainda sou) do seriado Gilmore Girls, eu sempre quis esse livro. Mas o que Gilmore Girls tem a ver com essa obra? (vocês devem estar se questionando). Bem, a atriz Alexis Bledel, que interpretava na série a personagem Rory Gilmore, estava no elenco do filme Quatro amigas e um jeans viajante, que foi baseado neste livro infanto-juvenil. Olhem só a imagem abaixo:

resenha_a irmandade das calcas viajantes_leitura na rede_2

O livro A irmandade das calças viajantes é o primeiro de uma quadrilogia. A obra narra a história de quatro amigas, com a faixa etária por volta dos quinze anos, que se conhecem desde sempre e se dão super bem. Claro, uma briga ou outra é normal, mas elas são amigas de verdade e se importam uma com as outras.

Começa então as férias de verão do colégio e Lena, Tibby, Bridget e Carmen terão que viajar cada uma para um lugar diferente. Pela primeira vez em suas vidas ficarão distantes. Com medo das saudades que sentirão e com a vontade de que nada interfira em suas amizades, elas ficam pensando como serão esses próximos meses. Nisso, avistam uma calça jeans que a Carmen comprou há pouco tempo em um brechó e decidem experimentar, mesmo tendo formatos de corpo bem diferentes entre si. A calça acaba servindo nas quatro amigas e em todas fica fantástica. Empolgadas, elas fazem um acordo de trocar correspondências durante as férias, ficarem com as calças por uma semana e depois enviar para a próxima amiga da lista.

Resenha_a irmandade das calcas viajantes_leitura na rede_1

E dessa forma, cada uma vai para um canto do mundo, onde vivenciarão novas experiências e terão que amadurecer para lidar com as surpresas que acontecerão e as pessoas que irão conhecer.

Cada uma terá um verão inesquecível, e um aprendizado para levar consigo para a vida toda. E junto delas, lá estará a calça para lhes dar a confiança que precisam.

O livro é uma graça e aconselho especialmente para as meninas adolescentes que estão crescendo e descobrindo novas coisas e sensações a cada dia. Estou louca para ler os outros três livros, e assim que o fizer voltarei aqui contar para vocês.

E aí? Quem já leu A irmandade das calças viajantes? Já assistiram ao filme? Um super beijo! S2

  • Título original: The sisterhood of the traveling pants
  • Editora: Rocco
  • Número de Páginas: 311
  • Ano: 2003
  • Gênero: Infantojuvenil
  • Rating: 4 estrelas

RESENHA: VENENO, SAGA ENCANTADAS, DE SARAH PINBOROUGH

Resenha_Veneno_Leitura na Rede_im dest

Quem diria que um conto de fadas poderia ter seu lado picante afinal de contas? O livro Veneno, de Sarah Pinborough reconta a história de Branca de Neve e os Sete Anões. Mas em sua versão, o que antes era belo não é tão belo assim e o que antes era ruim pode ter seus motivos para agir dessa forma.

A obra descreve a vida de Lilith, uma linda mulher que casou-se com o rei e teve que assumir como enteada a princesa Branca de Neve. Tendo sido criada das piores maneiras quando pertencia a outro reino, Lilith não aceita a liberdade e espírito aventureiro de Branca de Neve, que sai cavalgando floresta adentro para se encontrar com seus amigos anões e beber cerveja com eles. Irritada e inconformada que Branca de Neve é a mulher mais bela do reino, Lilith planeja se livrar da princesa. A narrativa conta com caminhos completamente diferentes e atitudes que jamais veríamos num conto de fadas, o que torna a história super interessante. Personagens de outros contos de fadas também passam a fazer parte da história, o que faz o leitor ficar muito surpreso.

O rei era seu fantoche, e ela ia mantê-lo assim. Ela endureceu o coração e passou os dedos delgados pelas coxas dele de um jeito que as unhas vermelhas arranharam levemente sua pele.

Ele se contraiu um pouco. Ela se inclinou para a frente e provocou a ponta de seu membro com a lingual.

  • Você é tão linda – murmurou o rei.

Sim, pensou a rainha. Sou mesmo. O rosto de Branca de Neve surgiu de repente em sua mente, e ela o afastou com raiva enquanto o engolia. (p. 11)

Estou super curiosa para saber que rumo a autora deu para os contos de fadas nos outros livros da Saga Encantada: Feitiço (livro 2) e Poder (livro 3).

E vocês? Já leram essa saga? Contem o que acharam nos comentários! Quero saber a opinião de vocês!

RESENHA: BRUXA DA NOITE, DE NORA ROBERTS

Resenha_Bruxa da Noite_Leitura na Rede_im dest

Primeiro livro da trilogia Primos O’Dwyer, o livro Bruxa da Noite da escritora Nora Roberts me surpreendeu. Um romance que mistura magia, maldições, encantamentos, amor, aceitação e a descoberta do novo.

A obra narra a história de Iona Sheeran, uma americana com descendência irlandesa. Sua avó sempre lhe contou sobre a Irlanda e a Bruxa da Noite, uma de suas ancestrais de séculos atrás. Sentindo-se fora de seu lugar e ansiando por uma aventura, Iona decide deixar o emprego nos Estados Unidos e parte para a Irlanda, a fim de descobrir um pouco mais sobre seus antepassados e conhecer seus primos.

Ao chegar na Irlanda, no Condado de Mayo, Iona finalmente conhece seus primos, Branna e Connor O’Dwyer; e descobre que todas as histórias que sua avó contava sobre a Bruxa da Noite eram verdadeiras. Encantada com a beleza da Irlanda, Iona logo arruma um emprego no estábulo do condado e faz novas amizades. Além de conhecer o encantador Boyle McGrath, que possui todas as características que Iona aprecia em um homem.

Iona finalmente está vivendo a vida que sempre desejou, mas há algo mais que espera por ela no Condado. Junto com seus primos, Iona descobrirá que é muito mais do que imagina ser. Existe poder em seu sangue e ela precisará usar toda a sua coragem e magia para ajudar os primos e os novos amigos a enfrentar o perigo que ronda a família há séculos.

Poderia ter sido uma reunião comum de amigos e familiares em uma noite chuvosa. O fogo baixo crepitando na lareira da cozinha, o grande cão roncando na frente dela. O vinho que Connor pegou, abriu e serviu generosamente nas taças. Voluntários descascando pequenas montanhas de batatas e cenouras, picando alho e cebolas enquanto a anfitriã se ocupava de polvilhar com farinha pedaços de carne e dourá-los em um grande panela robusta no fogão. Os cheiros subindo, anunciando o que estava por vir, e a mistura de vozes, todos conversando. (p. 148)

Uma história encantadora, que fará seu coração sorrir em alguns momentos e acelerar em outros. Nora Roberts faz o leitor mergulhar na história, nas riquezas naturais da Irlanda e nos sentimentos dos personagens. Estou doida para ler o próximo livro da trilogia: Feitiço da Sombra!

  • Título original: Dark Witch
  • Editora: Arqueiro
  • Número de Páginas: 308
  • Ano: 2013
  • Gênero: Romance / Fantasia
  • Rating: 4 estrelas

1 2 3 4 6