Resenha_O principe da nevoa_Leitura na rede_im1

Sabe um livro que deixa a sua marca e do qual você sente falta dos personagens ao terminar a leitura? Pois é, este aqui entrou para a lista dos livros mais queridos que eu já tive o prazer de ler!

Primeira obra escrita por Carlos Ruiz Zafón, O Príncipe da Névoa foi lançado em 1993, quando o autor venceu um concurso literário que estava participando. Este é um romance juvenil, mas como o próprio autor diz no livro:

…resolvi escrever um romance que teria gostado de ler quando tinha 13, 14 anos, mas que continuasse a me interessar também aos 23, 43 ou 83 anos.

O livro narra a história de Max Carver, um garoto de 13 anos que se muda para um vilarejo litorâneo com sua família, composta pelo pai relojoeiro e inventor, a mãe e as duas irmãs. Ao chegarem na cidade litorânea, a primeira coisa que Max repara é no relógio da estação, que funciona de trás para frente. Em sua nova casa Max perceber que algumas coisas estranhas e cheias de mistério estão acontecendo. Ele visita um jardim de estátuas atrás de sua casa e percebe que uma delas se moveu. Sua irmã mais velha começa a ter alguns pesadelos perturbadores e a irmã mais nova começa a escutar coisas. Os antigos donos da casa deixaram alguns rolos de filmes que possuem gravações esquisitas feitas por uma criança que também esteve no jardim de estátuas.

Percorreu com os olhos cada uma das estátuas, envoltas pelos ramos do matagal selvagem que se agitava ao vento, até chegar de novo ao grande palhaço. Um arrepio percorreu seu corpo e ele deu um passo para trás. A mão da figura, que segundos antes estava com o punho fechado, agora estava aberta, com a palma estendida no gesto de quem faz um convite. Por um momento, Max percebeu que o ar frio do amanhecer queimava em sua garganta e sentiu o coração palpitar em suas têmporas. (p. 30)

Max começa a investigar o que está acontecendo e num de seus passeios de bicicleta pela praia acaba fazendo amizade com Roland, um adolescente que adora nadar no mar e buscar antiguidades num navio naufragado há muitos anos atrás e do qual teve apenas um sobrevivente. Ao ouvir os questionamentos de Max em relação ao que está acontecendo, Roland trás algumas respostas, mas não todas, e isso deixa os amigos cada vez mais intrigados e os fazem ir atrás de mais explicações.

A narrativa de Zafón é muito prazerosa de se ler. O jogo que ele faz com as palavras torna o ritmo da narrativa gostoso de acompanhar. A obra é super sombria, traz muitos mistérios e por diversas vezes me peguei com o coração acelerado e com medo do que estava prestes a acontecer.

Não canso de indicar a leitura desse livro, e se o fizer, prepare-se para sentir medo, se emocionar e conhecer personagens apaixonantes que você jamais esquecerá.

  • Título original: El Príncipe de La Niebla
  • Editora: Suma de Letras
  • Número de Páginas: 180
  • Ano: 2013
  • Gênero: Infanto-juvenil
  • Rating: estrelas

1 Comment on RESENHA: O Príncipe da Névoa, de Carlos Ruiz Zafón

  1. Duda Menezes
    18/11/2015 at 16:57 (2 anos ago)

    Adoro como o autor nunca subestima o leitor, independente da idade. A escrita dele é maravilhosa e hipnótica. É incrível que esse tenha sido o primeiro livro dele, já é tão bom! Zafón consegue superar a si mesmo!
    beijo

    Responder

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *